NOTÍCIAS

Emendas destinam mais recursos a Estados e Municípios

12 de abril de 2012

rnO senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA), em pronunciamento na tarde desta quarta-feira (11), pediu o apoio dos demais senadores à emendas que apresentou para aperfeiçoamento da Medida Provisória (MP) 563/2012, em tramitaç&atil

rn

O senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA), em pronunciamento na tarde desta quarta-feira (11), pediu o apoio dos demais senadores à emendas que apresentou para aperfeiçoamento da Medida Provisória (MP) 563/2012, em tramitação no Congresso Nacional.

rn

Uma das emendas apresentadas por Flexa Ribeiro visa incluir a Contribuição para Compensação Financeira por Exploração Mineral (Cfem), o chamado royaltiy da mineração, entre os tributos para os quais a MP impediria o subfaturamento.

rn

O senador explicou que algumas empresas exportam commodities e outros produtos para subsidiárias no exterior com valor declarado muito abaixo de seu valor real, para depois reexportá-las para seu verdadeiro destino pelo preço de mercado, como forma de pagar menos imposto no Brasil. É exatamente este sentido da MP, mas a redação não incluía a Cfem, como sugeriu Flexa Ribeiro por emenda

rn

O atual texto da MP trata apenas do Imposto de Renda das Pessoas Jurídicas (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) no tocante a negócios internacionais. “O problema é que essas mesmas manipulações não ocorrem apenas em relação ao IRPJ e CSLL. Atingem fortemente a arrecadação da Cfem, já que o valor usado como base de cálculo da contribuição, no caso do minério exportado, é muitíssimo inferior ao valor da Commodity no mercado internacional”, disse Flexa Ribeiro.

rn

Outra emenda apresentada por Flexa Ribeiro estabelece que o valor equivalente à perda de arrecadação de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), em razão dos benefícios da MP, integrará o cálculo da parcela de IPI destinada ao Fundo de Participação dos Estados (FPE) e ao Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

rn

Em outras palavras, a emenda determina que a perda decorrente da redução de IPI sairá, exclusivamente, dos recursos da União. “O Governo Federal tem a recorrente prática de oferecer benefícios que impõem perdas aos Estados e Municípios – a famosa cortesia com chapéu alheio. Por exemplo: o Governo vem, sistematicamente, estabelecendo reduções de IPI, que importam em perdas diretas ao FPM e FPE. Ou seja, estende benesses com uma mão, e com a outra, tira recursos dos Estados e dos Municípios. É nosso dever zelar pelo equilíbrio fiscal dos estados e sua capacidade de prestar os serviços aos cidadãos”, destacou.

rn

A terceira emenda visa permitir que créditos tributários possam ser utilizados pela empresa para compensar débitos previdenciários. O parlamentar explicou que, com a fusão da Receita Federal com a Receita da Previdência, criando a Receita Federal do Brasil, não faz mais sentido esse impedimento. 

rn

Ele lembrou que o Projeto de Lei do Senado (PLS) 492/07, já aprovado pela Casa, permite essa compensação. Mas que não é necessário esperar sua tramitação na Câmara dos Deputados, uma vez que a emenda proposta para a MP tem o mesmo efeito. O parlamentar elogiou ainda as medidas tomadas pelo governo federal para incentivar a redução das taxas de juros cobradas pelos bancos.

rn

 

Fonte: Blog Espaço Aberto

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Venda interna de aço cresce 2,3% em 2017

23 de janeiro de 2018

As vendas internas cresceram 2,3% em 2017 e atingiram 16,9 milhões de toneladas, de acordo com dados do Instituto Aço…

LEIA MAIS

III Semana de Engenharia de Minas da Universidade Federal da Bahia ocorre em novembro

29 de outubro de 2018

A Universidade Federal da Bahia (UFBA) promove em novembro, entre os dias 12 a 14, a III Semana de Engenharia de Minas…

LEIA MAIS

Programa de melhorias eleva produtividade e reduz custos operacionais

15 de outubro de 2018

Engajamento dos colaboradores, aumento da produtividade e otimização de custos. Esses são os diferenciais que a Imerys, detentora da maior…

LEIA MAIS