NOTÍCIAS

Mineração vai gerar mais de 4 mil empregos na Bahia

1 de maio de 2012

rnNos próximos cinco anos, a indústria da mineração vai investir R$ 141 bilhões no Brasil. Com projetos em andamento para a produção de minério de ferro, cromita, vanádio, cobre e ou

rn

Nos próximos cinco anos, a indústria da mineração vai investir R$ 141 bilhões no Brasil. Com projetos em andamento para a produção de minério de ferro, cromita, vanádio, cobre e ouro, a Bahia será o destino de R$ 12,7 bilhões, de acordo com dados do Instituto Brasileiro da Mineração (IBRAM), o que dá ao Estado uma participação de 9% no volume total previsto. Os investimentos devem gerar mais de 4,3 mil novos empregos durante as fases de  operação das minas que devem entrar em atividade no Estado. 

rn

 A atividade emprega mais de 165 mil trabalhadores  nas minas espalhadas pelo Brasil. De acordo com um cálculo da Secretaria Nacional de Geologia, Mineração e Transformação Mineral do Ministério das Minas e Energia (MME), cada emprego gera outros 13 diretos em diversas etapas da cadeia de transformação, como na operação logística e na indústria de transformação. O potencial da indústria brasileira de mineração e os entraves da atividade serão temas tratados no 2º Congresso Internacional de Direito Minerário, que será aberto nesta quarta, às 16h, no Hotel Pestana. 

rn

 O desempenho baiano na atividade pode ser atribuído ao longo  e continuado investimento na pesquisa geológica do subsolo, somada à decisão  de oferecer à iniciativa privada áreas com potencial que o poder público não teria condições de aprofundar a pesquisa. De acordo com dados da Secretaria da Indústria, Comércio e Mineração (Sicm), a Bahia tem atualmente 15 mil áreas sendo pesquisadas. Destas, 1,2 mil estão diretamente com  a Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM), empresa pública estadual.

rn

rn

“Nós tomamos a decisão de aproveitar o interesse da iniciativa privada na pesquisa porque se contássemos exclusivamente com os recursos públicos não teríamos como chegar a esse volume de pesquisas em andamento, que é a base para o desempenho que temos alcançado nos últimos anos”, explica o secretário James Correia. Ele diz que o efeito prático do elevado volume de pesquisas são as descobertas de novas minas, que tem se tornando constantes. 

rn

 Segundo Correia, recentemente houve uma grande descoberta de potássio, matéria-prima para a produção de fertilizantes, na região do Recôncavo.  “Não temos como dar mais detalhes, mas é uma descoberta grande”, diz. Outra descoberta pode ser anunciada hoje ao governador Jaques Wagner pelo empresário Olacir B. Moraes, da Itaoeste, que recentemente informou a descoberta de tálio na região de Barreiras. “Ele quer informar o governador primeiro. O que nós já sabemos é que se trata de um mineral supernobre”, adianta o secretário James Correia.

rn

rn

 

Fonte: A Tarde

Compartilhe:

LEIA TAMBÉM



Serra Verde é a primeira mineradora brasileira a obter o selo Safeguard Covid-19

27 de outubro de 2020

A Serra Verde Pesquisa e Mineração (SVPM), empresa que desenvolve um projeto de concentrado de terras raras em Minaçu, Goiás,…

LEIA MAIS

Mining Hub recebe visita de produtores da indústria do açúcar

18 de fevereiro de 2020

O setor mineral brasileiro e suas inovações foram amplamente debatidos durante a manhã desta sexta-feira (14/2) no Mining Hub, único hub…

LEIA MAIS

Vale celebra recepção ao visitante 100 mil do Programa de Visitas Vale Conhecer ​

3 de dezembro de 2018

A Vale celebrou no dia 27 de novembro a recepção ao vi​sitante 100 mil, dentro do seu Programa de Visitas Vale…

LEIA MAIS